O fim da cultura farmacêutica

O surgimento da indústria farmacêutica ocorreu em conjunto com o surgimento da química farmacêutica e da farmacologia como campos científicos no final do século XIX. Seus objetivos é investigar, descobrir, produzir e comercializar medicamentos com objetivo de administrar, curar e aliviar de sintomas. Devida a sua sistematização, e com o aumento dos interesses econômicos e políticos, as drogas farmacêuticas são amplamente divulgadas e seu uso estimulado como uma forma de alivio de sintomas, mas não a cura da causa. Esse modelo moderno e alopático tem sido a norma dos últimos séculos influenciando toda uma cultura, trazendo grandes desafios sociais. Existe hoje uma grande crise no sistema de saúde mundial devido a super prescrição de medicamentos farmacêuticos e químicos, sendo muitos vendidos sem prescrição médica. O Brasil, por exemplo, vive a cultura do remédio, e com isso o aumento de estabelecimentos farmacêuticos a mais do que o recomendado. Hoje a indústria farmacêutica é talvez a industria mais lucrativa no mundo. Novos remédios são criados para “novas doenças” como por exemplo, déficit de atenção, alergias, depressão, ansiedade, e que podem ser adquiridos com facilidade e sem prévia investigação da causa e de seus futuros efeitos colaterais. Esses efeitos colaterais irão “exigir” novos remédios. A média da população no Brasil, ingere algum tipo de medicação farmacêutica todos os dias, senão, semanalmente. Hoje, a cultura de consumo das drogas farmacêutica se sobrepõe a cultura das drogas recreativas com o alto índice de dependência em drogas estimulantes, sedativas, anti-dor. É preciso consider que o alimento também é primariamente uma forma de medicação e cura, podendo fechar e expandir a mente (como a exemplo da glândula pineal). A introdução de elementos químicos nos alimentos industrializados, como por exemplo, açúcar refinado, xaropes, glutamato monossódico, causam super estimulação mental ligadas à ansiedade, autismo, Síndrome do Intestino Irritável, depressão, obesidade; Diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, hepáticas e renais, alguns tipos de câncer e a lista vai longe. Falo sobre isso exaustivamente no canal Liberdade Natural, no Youtube.

Essas doenças levam o indivíduo a consumir drogas farmacêuticas para contrabalancear seus efeitos numa perpétua espiral que poderá trazer mais doenças para o consumo de novos medicamentos. Esse é um dos motivos pelo qual a Limpeza do Fígado e Vesícula se tornou tão popular – o fígado que funciona como verdadeiro processador de lixo, já não funciona apropriadamente tornando os processos hepático insuficientes, abarrotando o processo digestivo, tornando a mente pesada e incapaz de discernir a verdade da mentira. Por isso, urge a mudança para a volta das medicinas naturais como a Ayurveda como meio de educação preventiva e de cura. Urge conhecermos o mecanismo daquilo o que ingerimos e seus efeitos para que tenhamos maior controle e domínio sobre nós mesmos. Aquele que não tem condições de controlar a mente, é controlado externamente – e esse, é o maior objetivo da indústria farmacêutica e alimentícia aliada ao governos ocultos presente no mundo atual. Parece conspiração, mas não é. Se a população está sedada por alimentos, remédios, álcool e sexo, ela é facilmente controlada, manipulada e caminham para direções inesperadas. A exemplo da contínua disseminação do Corona Vírus, cuja doença COVID-19 poderia ser abordada e tratada com simples soluções, está levando a população mundial em estado de pânico. 

Vitamina C Liposomal, Iodo Lugol e até mesmo o odiado e criticado pela mídia: o MMS (cloreto de sódio ativado com um ácido de qualidade alimentar que produz dióxido de cloro) é um exemplo de solução barata e simples que tem salvado muitas pessoas de epidemias como dengue, malária etc. Com a nova doença infringindo medo e pânico epidêmico na população, pelo desconhecimento de seu possível tratamento, o mundo anda em direções inesperadas. O descontrole e atitudes geradas pelo medo é mais agravante que a doença em si. 

A minha dica é sempre a prevenção: lave as suas mãos, evite contatos sociais desnecessários (mas não se afaste emocionalmente e espiritualmente de ninguém), se alimente de alimentos ricos em Vitamina C, tenha mel cru, limão, própolis, gengibre e cúrcuma em mãos, evite comer sem fome, evite dormir com estômago cheio, evite alimentos gelados, açúcar branco, álcool, evite carne vermelha ou qualquer tipo de alimento de difícil digestão. Imunidade alta é chave. 

Felizmente muitos indivíduos estão acordando para as soluções naturais e preventivas, e com a progressiva retomada das ciências ancestrais como a exemplo da Ayurveda, a Medicina Chinesa podemos deixar de buscar o imediatismo, abandonar a cultura farmacêutica “tapa-buraco” e ir além das fronteiras da zona de conforto. Assim é possível provocar verdadeiras revoluções internas e consequentemente externas, de forma que o mundo se torne num lugar melhor e sobretudo, livre.