Como Viajar e se Manter Saudável acordo com a Ayurveda

Olá pessoal, aqui é a Nataly.

Hoje gostaria de falar sobre viagens, e esse texto pode ajudar pincipalmente para quem viaja muito à trabalho, ou a estudos, ultimamente como é o meu caso – e o que eu faço para não desequilibrar o meu Vata, diminuindo todas as possibilidades de stress causado pela excessiva movimentação, mudança de fuso horário, alimentos diferentes e muitas vezes impróprios. Mudança de rotina causa irregularidades no corpo e na mente, portanto saber viajar é uma arte que precisa ser dominada. Bom, primeiro, quando viajo geralmente escolho me hospedar no Airbnb ao invés de hotel porque assim tenho a liberdade de usufruir de uma cozinha, comprar meu próprio café da manhã, sem ser tentada por alimentos não-saudáveis. Independentemente de onde irei me hospedar, o item que não dispenso é uma chaleira elétrica, e eu sempre tento levar comigo na bagagem uma faca para descascar fruta. Se eu estiver no budget, esses itens são o suficiente. Pelo menos um dia antes da viagem, eu entro no google e procuro na região onde estarei hospedada um mercado orgânico, uma quitanda, um mercado de frutas ou feiras para que eu possa me abastecer durante a minha estadia. Mas durante o trajeto, o que eu levo para comer no carro, no ônibus ou no avião? Minhas escolhas pessoais são bananas, tâmaras ou qualquer fruta seca, oleaginosas e sementes porque são energéticas, saciam rápido e é fácil de carregar. Mas preciso conhecer o seu bio-tipo para trabalhar com os elementos e saber o que comer. Por exemplo, se o seu bio-tipo é o dosha Kapha, maçãs são ótimos snacks. Vatas e Pitta devem evitar essa fruta. Para o Vata aumenta e elemento Ar, contribuindo mais ou menos para o stress e para o Pitta, aumenta o fogo digestivo, ou seja, a fome, e mais ou menos o stress. 

Evitar comida de avião é outra questão importante, pois são ultra-processados, requentados no microondas, desprovidos de prana, vai diminuir seu Agni e deixar a digestão lenta contribuindo para acumulo de toxinas. Leve seu próprio alimento. 

Evite ar condicionado à todo custo para evitar ressecamento das vias respiratórias, e aumentar a inflamação interna do organismo, mas, se você não puder evitar leve com você algum óleo hidratante. Se você for Pitta e Kapha óleo de coco são excelentes escolhas, se você for Vata o óleo de semente de gergelim é confortador. Você pode passar nas mãos, nos lábios e dentro das narinas para evitar ressecamento e stress. Lembrando que o óleo de coco já serve como reparador de pontas, protetor solar e óleo corporal se eu estiver indo para um lugar quente, então é um multi-uso. Leve tampão de ouvido, é útil para dormir em ambientes novos e barulhentos. Volte-se pra dentro. Leia, medite, faça um mantra para que você se mantenha calmo. Se fizer longas viagens, sente-se sempre no corredor por dois motivos: primeiro, você precisa beber muita água para evitar desidratação, portanto irá se levantar muitas vezes para fazer xixi. Hidratação é crucial para manter a homeostase equilibrada e evitar a acidificação causado pelo próprio stress, o outro motivo, é poder se levantar sempre que quiser para alongar e manter a circulação sanguínea em movimento. Não leve peso desnecessário. Não carregue livros, coloque dentro do Kindle no seu celular, não leve muitas roupas – procure uma lavanderia local se possível. Excesso de peso causa grande stress no sistema nervoso. Respire conscientemente pelo nariz e solte pela boca todas as vezes que se lembrar, para que você consiga permanecer no momento presente ao máximo. Durante viagens é normal ficar ansioso, principalmente se você estiver procurando um endereço. Mas tome cuidado para que isso não tome o controle das suas emoções, senão, mais uma vez você está comprometendo sua saúde com insônia, inchaço e constipação. Pronto, você chegou no local, e começa a sentir novos cheiros e naturalmente quer experimentar algo diferente. É ruim sair da rotina alimentar durante viagens? Absolutamente não – principalmente se a sua rotina base do dia-dia é a alimentação saudável complementado pelos exercícios. Além do mais, se você estiver visitando uma cultura estrangeira ou de um Estado diferente pela primeira vez é natural querer experimentar a culinária saudável do local. Se educar e se conscientizar sim, se oprimir, não. No entanto é preciso ter cuidado ao consumir alimentos que o seu organismo não reconhece ou não está acostumado. Alimentos pesados, frituras, molhos, temperos podem aumentar o Vata de todos nós. Comida de restaurante na maioria das vezes tem uma energia puramente comercial que se transfere para o alimento que você consome, deixando de ser sátvica (pura) e passando a ser rajásica (agitada) ou tamásica (letárgica). Portanto, escolha estabelecimentos que colocam amor no alimento que preparam e sejam ecologicamente corretos. Pesquise antes de viajar e busque referencias, não caia em qualquer lugar – mas também, siga a sua intuição. Mudança de fuso horário, sentar por longos períodos desequilibram nosso ritmo biológico natural; jet lags são exemplos disso, então ao invés de agravar ainda mais, use a alimentação ao seu favor: coma frutas para buscar sintonizar ainda mais com o lugar e minimizar a sensação aérea. Quando estive no Marrocos no inverno, era época de laranjas – e foi isso que procurei comer para encontrar ritmo interno.

Não é absolutamente importante experimentar certas culinárias e alimentos-, mas você pode e deve se interessar pelas frutas típicas daquela região e procurar ofertas da estação, e principalmente, pesquisar frutas que você nunca comeu. Um dos meus grandes motivos para viajar: se esbaldar em frutas locais. As ervas, frutas e vegetais cultivados localmente tem um impacto biológico poderoso e energético em nosso organismo. É muito comum voltar curado depois de uma viagem. Digo isso porque conheço muito bem a diferença. Moro na Holanda e lá quase todas as frutas são importadas, portanto muitas frutas chegam borrachudas, sem gosto e pouco impacto energético. Então conheço a diferença do poder dos alimentos locais e quanto mais produzido perto de onde você estiver, mais curativa ela é. 

Uma dica de ouro: tenha sempre na sua bagagem de mãos saquinhos de chá de gengibre e um limão para você pingar na água morna e beber todos os dias, de manhã, de tarde e antes de dormir – para assegurar melhor a eliminação. E claro, onde estiver procure se exercitar, e mais uma vez, respire. Procure dormir sempre no mesmo horário. Aproveite as oportunidades ao seu redor com calma, as férias se tornam um pesadelo para quem vive preocupado e com pressa.

E essas são minhas dicas pessoais Ayurvédicas de viagem, se você gostou repasse por aí.