Reconheça-te e governe-se

Paradise Valley, Marrocos

 As montanhas, as rochas, as pedras representam as nossas estruturas sólidas, os lagos, os rios, os mares são também os fluídos a correrem dentro de nós. O ácido estomacal é o fogo que transformam nossos alimentos em energia. O ar localizado no universo é o prana que circula e regula o nossos movimentos internos. Não há distinção, nós somos tudo e permeamos tudo. Se você ignora a própria natureza, ignora a si mesmo. Por isso, quando ansiamos demais, comemos demais, pensamos demais, sentimos demais, fazemos demais e exigimos demais enfraquecemos e desestruturamos o nosso próprio eco-sistema. Poluímos e bloqueamos o curso de nossos fluídos internos, inflamamos e devastamos nossos órgãos com o fogo dos excessos, das paixões, dos apegos. No entanto, a harmonia da natureza é caracterizada pelo momento presente. A natureza não atua no passado ou no futuro, ela se desenvolve no agora e por isso consegue desempenhar suas funções biológicas corretamente. Se a natureza é mais inteligente que a mente humana, voltar-se para o nosso próprio corpo e reverência-lo como templo e inteligência última é uma medida urgente. Assim, conseguiremos ir de encontro com a nossa própria essência e ultrapassar as fronteiras mundanas das querelas e mazelas do mundo externo, que nada mais é do que Maya, ou a própria ilusão a te enganar sobre quem você realmente é, impondo máscaras e necessidades falsas. Pergunte-se se aquilo que está reverenciando e alimentando ultimamente é aquilo que realmente te nutre e te constitui. Afinal, somente a Natureza é pátria capaz de governar de forma inteligente e eficiente dentro e fora de nós.